Caraguatatuba: Pescadores aprovam ações da prefeitura e agradecem apoio do prefeito Aguilar Junior ao setor

Em Caraguatatuba, os pescadores estão contemplados nas ações do governo municipal. Isto pode ser constatado no resultado do trabalho conjunto da gestão Aguilar Junior e as entidades que representam a comunidade pesqueira.

O município possui quatro entrepostos pesqueiros localizados nos bairros da Tabatinga e Cocanha (região norte), Porto Novo (região sul) e Camaroeiro (região central) que recebem suporte da Prefeitura, por meio da Secretaria de Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, além de capacitações e consultoria para a realização da atividade como foco no empreendedorismo e sustentabilidade.

Novo prédio do Entreposto de Pesca da Praia do Camaroeiro – Foto: Claudio Gomes/PMC

A última obra realizada foi a readequação e reforma completa do Entreposto do Camaroeiro que melhorou as condições sanitárias e de atendimento ao consumidor final, acabando com os atravessadores e concedendo aos pescadores e suas famílias o direito de comercializar o pescado local.

O presidente eleito da Associação dos Pescadores da Praia do Camaroeiro, Glaidson Alves Macedo, o Gresso, lembra como era a situação anterior. “Antes da gestão do prefeito Aguilar Junior, atravessadores dominavam o comércio do pescado, traziam produtos do CEASA e vendiam como se fossem pescados aqui. Muitas vezes, os pescadores não tinham pra quem vender o seu peixe e camarão”.

E comparando com a situação atual, elogia: “Hoje somos muito bem tratados. A Prefeitura está sempre presente, orientando e prestando apoio. Nossas famílias são respeitadas e vendemos aqui os produtos da pesca de Caraguatatuba, sem ‘Peixe de Fora’”, finaliza.

A secretária de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca da Prefeitura de Caraguatatuba, Tatiana Soares Scian, também destaca as ações do governo. “O governo Aguilar Junior tem investido constantemente na melhoria da qualidade de vida e do trabalho da comunidade pesqueira de Caraguatatuba. Prova disso é que hoje nosso pescado é comercializado em toda a região e o camarão, por mais improvável que pareça, está muito mais barato que a carne bovina”.

Investimentos no setor pesqueiro

Dentro das ações do governo Aguilar Junior em prol do setor pesqueiro, pode-se destacar o investimento em infraestrutura e capacitação da mão de obra.

A Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (SMAAP) tem intensificado as ações para promover em conjunto com agências de fomento e Sebrae ações de treinamento e formação dos pescadores e suas famílias com o objetivo de prepará-los para realizar a gestão do próprio negócio.

A SEMAAP também oferece o suporte logístico para que o pescador esteja regularizado junto ao Governo Federal, proporcionando assessoria na elaboração dos documentos e disponibilizando veículos para transportar o pescador ao escritório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para a obtenção dos referidos documentos.

Entreposto de Pesca do bairro do Porto Novo – Foto: Claudio Gomes/PMC

Outra iniciativa de capacitação é a realização de treinamento em boas práticas de manipulação de alimentos, realizado pela Vigilância Sanitária, que tem como objetivo capacitar os pescadores e suas famílias no manuseio e conservação de alimentos para que a qualidade e segurança do pescado seja prioridade.

Em relação a obras e serviços a Prefeitura tem proporcionado a reforma e modernização das instalações. Um exemplo de sucesso é a reforma do Entreposto do Camaroeiro, que recebeu novas instalações, rede elétrica ampliada e modernizada, bem como a adequação sanitária de todas as unidades de venda e armazenamento de pescado.

Está licitada a obra de construção do Píer do Camaroeiro, que aguarda apenas a autorização da Marinha, e a principal obra será o enrocamento do Rio Juqueriquerê, na região sul, que vai beneficiar toda aquela comunidade.

Essa obra prevê a melhoria da navegabilidade e segurança do tráfego aquaviário, bem como vai melhorar a drenagem dos bairros Morro do Algodão, Rio Marinas, Barranco Alto e Porto Novo, evitando, assim, as inundações. O investimento previsto na primeira fase é de R$ 30 milhões.

Com esta obra, além da navegação mais segura, os pescadores não precisarão mais aguardar a maré alta para entrar no rio, dando mais agilidade no descarregamento do pescado e reduzindo os custos operacionais, reduzindo o preço final ao consumidor.

Nas ações voltadas ao turismo os pescadores também são contemplados. O Plano Diretor de Turismo tem como uma das atividades previstas tornar os entrepostos de comercialização de pescado como um posto turístico permanente, com a realização de feiras relacionadas à gastronomia e cultura caiçara.