100 primeiros dias: Toninho Colucci apresenta as principais realizações no início de sua gestão a frente de Ilhabela

O Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, realizou na tarde desta quarta-feira (14/04) a prestação de contas de 100 dias de governo.

Acompanhando do vice-prefeito João Pedro Colucci, do Advogado geral do Município, Luiz Henrique Homem Alves, e de todos os secretários municipais, o Prefeito fez uma breve apresentação dos projetos e ações desenvolvidos desde 1º de janeiro e respondeu perguntas dos jornalistas presentes. Diversos vereadores também participaram do encontro.

Colucci iniciou sua fala apontando os desafios que teve ao assumir o governo. “Assumimos a gestão em plena pandemia e uma cidade desacreditada por conta de escândalos recentes. Mais do que começar a entregar, precisávamos agir: ter pulso e responsabilidade com o dinheiro público, mesmo brigando para que não haja queda de repasses dos royalties. O primeiro passo foi rever todos os contratos e as desapropriações, o que gerou uma economia aos cofres públicos. Além disso, injetamos mais de R$ 700 mil com leilão de veículos sucateados”, ressalta.

Porém, ele ressalta que as principais medidas foram tomadas no combate à pandemia do novo coronavírus.

“O segundo passo foi tomar medidas sérias para conter o avanço da pandemia em nossa cidade: modernização do gripário, criação de leitos e mais uma usina de oxigênio, acompanhamento de pacientes em casa, exigir da empresa de transporte público cumprimento de regras sanitárias e impedir aglomerações nos ônibus, além de promover o controle de acesso à cidade. Testamos 68% da população e temos uma das menores taxas de letalidade do Brasil”, disse.

Essas ações surtiram efeito imediato, tanto que a cidade registrou uma diminuição no número de casos confirmados (1.255 em janeiro, 430 em fevereiro e 398 em março), bem como de óbitos (seis em janeiro, quatro em fevereiro e quatro em março). Além disso, foram 1.349 visitas dentro do Programa de Monitoramento Domiciliar para pacientes positivos para Covid-19 ou com síndrome gripal.

Todas as medidas foram importantes para que houvesse a garantia segura de retorno das aulas presencias. Profissionais da Educação foram testados e já estão recebendo a imunização com a vacina. Várias medidas de segurança foram tomadas nas escolas e com as crianças.

Ainda durante a coletiva, o Prefeito Toninho Colucci explicou que já assinou um protocolo de intenções para a compra de 100 mil vacinas contra a Covid-19. “Aguardamos aprovação da Anvisa e liberação do Ministério da Saúde para que possamos adquiri-las o quanto antes”.

Toninho Colucci também explicou que a Prefeitura de Ilhabela já começa a pagar nos próximos dias o auxílio emergencial por três meses (R$ 500 por mês).

“Aguardamos somente a liberação da Caixa Econômica Federal. Serão pagos os auxílios para quase 3 mil famílias que estão cadastradas no Bolsa Família ou CadÚnico do Governo Federal. Será um aporte financeiro importante aos cidadãos de Ilhabela. Além disso, vamos adquirir 40 mil cestas básicas para distribuir para a população mais vulnerável”, explicou.

Por fim, o Prefeito disse ainda que o Banco do Povo está com linhas de crédito para o empreendedor da cidade e que deve aprovar nos próximos dias uma lei para prorrogação de pagamentos de tributos municipais.

Outras Ações

Ainda na coletiva, o Prefeito Toninho Colucci falou de outras ações importantes na cidade, como a questão do saneamento básico.

“Fizemos renegociação com a Sabesp e readequamos valores da Estação de Esgoto da Feiticeira e assinamos contrato para ligação de 1 mil residências à rede de esgoto nos bairros Costa Bela, Reino, Armação e Santa Tereza”, salienta.

As obras e intervenções também estão sendo realizadas: pavimentação de ruas, drenagem, manutenção da cidade, reforma de núcleos esportivos, das Trilhas do Bonete, Baepi e Mansa/Vermelha, além do Centro Cultural Museu Waldemar Belisário e do Centro Cultural da Praia Grande.

E neste ano, Ilhabela aumentou o bolsa atleta para 93 esportistas e agora vai liberar lives com apresentações de artistas locais, pagando cachês.