Descaso: Trabalhadores do Hospital de São Sebastião, enquadrados no grupo de risco, são obrigados a permanecer trabalhando

Pacientes e funcionários denunciam que trabalhadores que são enquadrados no “grupo de risco” estão sendo obrigados a trabalhar, mesmo com afastamento médico

A pandemia do novo Cororavírus tem causando inúmeros transtornos à população mundial, inclusive na nossa região, que recentemente teve a rotina afetada pelas medidas sanitárias adotadas pelos municípios e pelo estado de São Paulo.

Dentre elas estão: a quarentena obrigatória, o fechamento dos comércios e serviços não essenciais e a proteção aos grupos de risco.

Contudo, mesmo todos os apelos e determinações do Ministério da Saúde, o Hospital de Clínicas de São Sebastião, não vem cumprindo o que foi recomendado e está colocando em risco de contaminação os funcionários que estão enquadrados como “grupo de risco”.

Segundo um paciente denunciou que existem pessoas, maiores de 60 anos, que trabalham no serviço de limpeza que continuam trabalhando, ” Eu vi uma senhora, visivelmente maior de 60 anos, que estava realizando trabalhos de limpeza, sem qualquer proteção”, relatou o paciente ao Portal Litoral Vale.

Já um funcionário, que não terá o nome revelado por temer perseguições, relata que a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes é impedida de realizar o seu trabalho, pois os funcionários são ameaçados de demissão. “A CIPA e a ouvidoria estão de mão atadas, existe um grupo de pessoas que faz o que quer neste hospital, ameaçam funcionários, contratam e demitem sem qualquer critério técnico e ainda obrigam a trabalhar as pessoas que estão no grupo de risco. Existem funcionários em risco de vida; um que possui problema pulmonar, com pedidos de afastamento, atestados por 2 médicos, mas foi obrigado a trabalhar; e um outro que sequer sequer possui calçados adequados para trabalhar na limpeza de material infectante, um absurdo”, indignado relatou.

Os auditores da Secretaria do Trabalho devem realizar uma fiscalização verificando as condições de trabalho, o fornecimento e uso de Equipamentos de Proteção Individual e treinamento dos funcionários para apurar as eventuais irregularidades.

Denuncie no Ministério Público do Trabalho

Se você encontrar irregularidades nas condições de trabalho e outras irregularidades, entre em contato com o Ministério Público do Trabalho.

O Ministério Público do Trabalho atua em situações de desrespeito aos direitos difusos, coletivos e individuais homogêneos de relevante valor social, no campo das relações de trabalho.

As principais áreas de atuação do Ministério Público do Trabalho

  • Promover a igualdade de oportunidades e combater a discriminação nas relações de trabalho;
  • Combater o assédio moral nas relações de trabalho;
  • Erradicar o trabalho escravo degradante;
  • Erradicar a exploração do trabalho da criança e proteger o trabalhador adolescente
  • Garantir o meio ambiente do trabalho adequado;
  • Eliminar as fraudes trabalhistas;
  • Garantir a liberdade sindical e buscar a pacificação dos conflitos coletivos de trabalho;
  • Proteger o trabalho portuário e aquaviário;
  • Combater as irregularidades trabalhistas na administração pública;
  • Combater a terceirização ilícita dos trabalhadores.

Denuncie no link: https://peticionamento.prt2.mpt.mp.br/denuncia

Veja quais grupos são mais vulneráveis ao coronavírus e por quê

Ao Portal Litoral Vale, médicos explicam que idosos, diabéticos, hipertensos e quem tem insuficiência cardíaca, renal ou doença respiratória crônica podem ficar mais expostos e ter complicações decorrentes da Covid-19.

Os relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde apontam que alguns grupos e faixas da população são mais suscetíveis ou vulneráveis à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Entre esses grupos mais vulneráveis e suscetíveis, estão:

  • Idosos
  • Diabéticos
  • Hipertensos
  • Quem tem insuficiência renal crônica
  • Quem tem doença respiratória crônica
  • Quem tem doença cardiovascular
  • Quem tem Patologia Graves e Crônicas

Especialistas ouvidos pelo Portal Litoral Vale explicam por que pessoas mais velhas ou com essas enfermidades podem ficar mais expostas e ter complicações decorrentes da Covid-19. Também dão dicas de como evitar contágio e agravamento do estado de saúde.