Cursinho Popular em Caraguá inicia aulas em escola municipal

Teve início nessa quarta-feira (02/05) as aulas do Cursinho Popular preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A aula inaugural foi na EMEF Dr. Carlos de Almeida Rodrigues, no Indaiá, em Caraguatatuba.

A parceria entre o IFSP (Instituto Federal de São Paulo – Campus Caraguatatuba) e a Secretaria de Educação possibilitou o aumento do número de vagas em 100%, na gestão do prefeito Aguilar Junior. Este ano, são oferecidas 60 vagas, anteriormente eram apenas 30.

O cursinho é gratuito e direcionado a jovens e adultos de baixa renda provenientes de instituições públicas, respeitada a reserva de vagas para alunos afrodescendentes, conforme a Lei 12.711/2012. Como houve mais de 130 inscritos, a seleção foi baseada nos critérios exigidos e por sorteio.

O vice-prefeito Campos Júnior e a diretora do IFSP – Campus Caraguatatuba, Tânia Cristina Lemes Soares Pontes, deram boas-vindas aos estudantes e ressaltaram que ao garantirem a vaga, cada um terá a oportunidade de ingressar em um curso superior, desde que sejam dedicados e responsáveis.

Em seguida, Renato Mainente e Ticiana Roquejane, coordenador e vice-coordenadora do Cursinho Popular, apresentaram alguns alunos e monitores que acompanharão os alunos até o encerramento no dia 30 de novembro.

O corpo docente do Cursinho Popular é provido pelo Instituto Federal e as aulas vão até o dia 1º de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h35, na EMEF Dr. Carlos de Almeida Rodrigues.

O estudante Luan Lenne, 17 anos, nunca prestou vestibular e espera que o curso lhe dê base para passar no curso de Engenharia Mecânica ou em outros concursos. Janaína Tavares de Sá, 23 anos, pretende cursar Direito. “Essa é uma oportunidade para aprender e abrir portar profissionalmente”, avaliou.

Serão oferecidas as disciplinas que compõem o currículo da Base Nacional Comum, bem como atividades diversificadas, cujo objetivo é oferecer subsídios envolvendo ética, política, diversidade, meio ambiente, cultura e artes. Todas são trabalhadas em formato de oficinas, ciclo de debates, discussão de filmes e documentários.