Marun diz que governo não pretende recuar da nomeação de Cristiane Brasil

Após criticas sobre a indicação da deputada federal Cristiane Brasil para chefiar o Ministério do Trabalho, o ministro da secretaria de governo, Carlos Marun, afirmou à Rádio Nacional que o governo não pretende recuar da nomeação.

A polêmica sobre a nomeação de Cristiane Brasil ocorreu após repercussão na imprensa que a deputada federal já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de trabalho de dois motoristas particulares.

Em uma dessas ações, a nova ministra foi condenada a pagar uma indenização de R$ 60 mil. Para Marun, essas são questões pessoais da deputada.

A cerimônia de posse da deputada federal está marcada para a próxima terça-feira, no Palácio do Planalto. A deputada informou que não vai comentar o assunto.

Cristiane Brasil assume o lugar de Ronaldo Nogueira, também do PTB, que pediu demissão no final de dezembro para se candidatar às eleições este ano.

Ainda sobre o troca troca de ministros, Carlos Marun informou que o partido PRB não indicou ainda um nome para ocupar a vaga deixada pelo  Ministro  da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Ele deixou o ministério para concorrer a uma vaga nas eleições deste ano.

Marun afirmou que a pasta continua sendo do PRB. O vice presidente da executiva nacional do partido, Roberto Wagner, afirmou que as negociações de quem irá assumir o lugar de Pereira ainda não foi definido, e o novo nome deverá ser apresentado pelo próprio ex-ministro ao presidente Michel Temer nos próximos dias.

Quem também anunciou que vai deixar o governo até abril é o ministro da saúde,  Ricardo Barros. Ele alegou que pretende concorrer a um cargo no legislativo. Dia 7 de abril é o último dia para ministros e governadores deixarem os cargos para participar das eleições.