Caraguatatuba é uma das dez cidades contempladas com Prêmio Crianças Mais Saudáveis da Nestlé

O projeto “Horta em Movimento”, da EMEF Prof. Euclydes Ferreira, no bairro Perequê-Mirim, foi um dos 10 selecionados no Brasil para receber o Prêmio Crianças Mais Saudáveis. A premiação será entregue no dia 4 de julho, em São Paulo, por representantes da Fundação Nestlé, idealizadora do concurso.

O projeto vencedor de Caraguatatuba consiste em criar um sistema que transforme em energia elétrica, a força motriz humana, gerada nas atividades físicas e utilizá-la no sistema eletrônico de irrigação da horta escolar. A proposta é fazer com que os alunos compreendam e assimilem na prática, a relação e os benefícios da atividade física e de bons hábitos alimentares na sua vida cotidiana. Para isso, a escola receberá todo o equipamento necessário, previsto no projeto, por parte da Fundação Nestlé, no valor de até R$ 35 mil.

O diretor de Projetos da Secretaria de Educação, Mario Luiz Silva (Marinho), explicou que será constituída uma horta na unidade escolar, com capacidade de plantio variado, que utilizará um sistema eletrônico de proteção solar e de irrigação por gotejamento.

Também será preparada uma sala de ginástica com 10 bicicletas ergométricas tipo spining. A força motriz utilizada durante os exercícios, nos equipamentos ergométricos, será captada e transformada em energia elétrica, que será utilizada no sistema eletrônico da horta.

“Vamos interligar o sistema de produção de energia da sala de ginástica, com o sistema eletrônico de irrigação por gotejamento da horta escolar. Essas atividades serão atreladas ao conteúdo programático dos alunos do ensino fundamental I e II. Também incentivaremos pais e filhos a aderirem aos programas de atividades físicas e de reeducação alimentar na escola”, explicou Marinho.

Ele acrescentou ainda que os grupos de trabalho serão divididos em três frentes: Grupo Sala de Ginástica, Grupo Robótica e Grupo Horta.

O grupo Sala de Ginástica será responsável por preparar e coordenar o uso da sala de ginástica, definindo a disposição dos equipamentos, preparando informações de gasto calórico, regras de uso etc.

O grupo Robótica será responsável pela montagem e operacionalização do sistema eletrônico da horta e pelo sistema de adaptação dos equipamentos ergométricos da sala de ginástica, bem como da interligação entre ambos.

O grupo Horta cuidará da manutenção do terreno, da preparação dos canteiros, passando pela seleção das plantas que serão cultivadas, a colheita e o preparo dos alimentos.

“A utilização da academia para o condicionamento físico dependerá da anuência e acompanhamento do professor de Educação Física. Ele determinará o horário e a programação dos exercícios a serem realizados, bem como fará o acompanhamento dos alunos que aderirem ao programa de redução de peso corporal”, disse Marinho.

Os alunos diagnosticados com índice de massa corporal acima do normal terão prioridade na utilização da sala de ginástica, com horários especiais durante o turno e contra turno escolar.

A sala de ginástica ficará aberta de 2ª a 6ª feira, das 8h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00 para os alunos da escola e, das 19h00 às 21h00, para os pais e familiares dos alunos. O acesso a Horta Escolar ficará condicionado ao prévio agendamento com a equipe de trabalho do grupo Horta.

“Mensalmente, haverá encontros, para avaliar, discutir e apresentar trabalhos vivenciados durante as fases do processo que envolve o projeto. Serão apresentados trabalhos preparados pelos alunos, pais, professores e funcionários da escola, incluindo receitas de pratos saudáveis, preparados na cozinha da escola e que serão degustados coletivamente”, acrescentou o diretor de Projetos.

No final do projeto será realizado o dia da colheita, onde serão apresentados pratos variados, com alimentos colhidos da horta escolar, de receitas preparadas pelos próprios alunos e pais. Também será apresentado o quantitativo de energia gerada pela sala de ginástica e o gasto calórico demandado para executar as atividades físicas e sua relação com a quantidade de gordura corporal eliminada.

Projetos – Vencedores de São Paulo: “Horta em Movimento”, da EMEF Prof. Euclydes Ferreira, de Caraguatatuba; “Comer, correr e saltar, é só começar”, da E.E. José dos Santos, de Aspásia; “Brincadeiras Brasileiras”, da E.M. Prof. Edemir Antonio Digiampietri, de Sorocaba; “Melhor escolha na escola melhor, alimentação e recreação”, da EMEF Prof. Amaury Pacheco, de Marília; e “Pratos Limpos”, da EMEF Profª Leonor Bicudo Vizenzzotto, de Botucatu. Vencedores da Bahia: “Comer bem faz bem, viver melhor é bom D+”, da Escola Iromar Silva Nogueira, do município de São Francisco do Conde; “Projeto Vida Saudável Sem Barreiras”, da Escola Municipal de Iguape, de Ilhéus; “Alimentação Saudável: uma história a ser contada”, do Colégio Estadual Césare Casali, de Salvador; “Comer bem faz bem”, da Escola Municipal D. Pedro II, de Cafarnaum; e “Você é o que você come ou consome”, da Escola Municipal Castro Alves, de Botuporã.