Mutirão do ‘Outubro Rosa’ atende mais de 1.400 mulheres em Jacareí

Mais de 1.400 mulheres foram atendidas na manhã do último sábado (21) durante o mutirão de prevenção ao câncer de colo de útero nas unidades de saúde de Jacareí. A ação faz parte da programação do ‘Outubro Rosa’, mês de conscientização sobre a importância dos cuidados à saúde da mulher, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde.

No total, foram mais de 2.400 procedimentos, sendo 1.400 coletas de preventivo contra câncer de colo de útero (papanicolau) e mais 1.014 solicitações de mamografia.

Na avaliação da diretora de Serviços de Saúde, Marilis Cury, “a participação foi excelente em comparação ao mutirão realizado em maio. Na ocasião, foram 1.022 exames de papanicolau e 548 solicitações de mamografia, sendo que a campanha durou o dia todo, das 8h às 17h, e mesmo assim a participação foi menor. Por isso, desta vez, decidimos concentrar todo o atendimento no período da manhã e o número de atendimento foi maior. O que mostra que todo esforço da administração para aumento da adesão das mulheres deu resultado”, explicou a diretora.

A operadora de caixa Aylla Cristina Vitorino, 21 anos, foi uma das primeiras a chegar na UBS Santa Cruz dos Lázaros. “É o segundo ano que realizo o exame (papanicolau). É preciso fazer, é uma questão de saúde. E o fato de ser no sábado facilita muito para a gente que trabalha”, disse.

O mutirão no sábado também “facilitou” o atendimento para a doméstica Ilda dos Santos Machado, 62 anos. “Para quem trabalha é muito difícil arrumar um tempo para ir ao médico. Ter um dia de campanha só para esse atendimento é muito bom, porque a gente já deixa esse dia disponível só para isso”, comentou.

Engajamento – O mutirão engajou não só as servidoras da saúde, que fizeram um café da manhã colaborativo para receber as mulheres neste sábado, como os inúmeros setores da prefeitura. Na última sexta-feira, servidores se uniram e trabalharam vestindo rosa, em alusão ao mês comemorativo.

Prevenção – O câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente de alguns tipos do Papilomavírus Humano (HPV). A infecção genital por este vírus é comum e na maioria das vezes não causa nenhuma doença. Porém, em alguns casos, pode haver infecção, reprodução das células cancerígenas ou lesões sugestivas do câncer. O Papanicolau mapeia esses sinais e, quando houver necessidade, o profissional de saúde encaminha o paciente para a realização de exames mais completos e início correto do tratamento na rede.

(Rosana Antunes e Guilherme Mendicelli/PMJ – Fotos: Alex Brito/PMJ)